Vídeos

Liberação de alvarás para prédios contribui para criação de empregos na construção

A Prefeitura de São Paulo concedeu 306 alvarás para construções de prédios na cidade entre julho e setembro deste ano, o que pode ter contribuído para a geração de empregos mesmo durante a pandemia.

O setor da construção civil teve saldo positivo de criação de novas vagas, contrariando a tendência de desemprego acumulada em outras áreas.

Do total de alvarás liberados no período, quase metade atende a Zona Leste da cidade (144). A Zona Norte conta com 66; Zona Sul, 54; Zona Oeste, 36; e Centro, 6.

Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), quanto mais alvarás emitidos, mais empregos gerados.

“A cidade de São Paulo tem potencial enorme. Numa retomada econômica ela pode chegar a 75 mil imóveis por ano, o que significa uma geração de 200 mil empregos”, diz o presidente da associação, Luiz Antônio França.

O setor da construção civil criou 5,4 mil vagas na cidade de São Paulo de janeiro a agosto. Já no geral, a capital paulista perdeu 113 mil empregos no mesmo período.

“O acumulado no ano até agosto é positivo, ainda inferior ao mesmo período do ano passado. Mas na hora que a gente compara o acumulado do ano da construção com o acumulado do ano do país, o país está negativo em mais de 800 mil postos. A construção está positiva”, diz a economista da FGV Ana Maria Castelo.

Em um canteiro de obras na cidade, 70 dos 240 funcionários foram contratados depois que a pandemia começou. A previsão da empresa é de ainda aumentar o número.

“Nós temos hoje nove canteiros em curso, temos 640 funcionários em curso. No pico, esses canteiros devem chegar em mais de mil funcionários. Desses mil, uns 30% serão de empregos novos”, afirma o diretor de engenharia Ricardo Monteiro.

Jailson Guimarães, que é carpinteiro, ficou dois meses sem trabalho durante a pandemia, mas conseguiu uma recolocação. “A construção civil não parou, ela continuou. Foi meio devagarzinho, mas continuou.”

Já um setor que ainda está longe da recuperação é o de serviços. Em agosto, cresceu apenas 2% no estado de São Paulo, um crescimento inferior ao do resto do país, segundo o IBGE.

Fonte: TV Globo – SPTV 2ª Edição