Notícias

Summit ABRAINC reúne CEOs de grandes incorporadoras para falar sobre perspectivas do setor imobiliário para 2021

Evento foi realizado de forma 100% online e teve audiência de mais de 2500 pessoas

Acompanhado por mais de 2.500 pessoas, a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC) , realizou, no mês de março, o evento online e gratuito Summit ABRAINC, onde reuniu CEO’s de grandes incorporadoras, construtoras, analistas financeiros, economistas, líderes setoriais e representantes do governo para apresentar os números do setor imobiliário e debater as perspectivas para o ano de 2021.

Ao abrir a cerimônia, Luiz França, Presidente da ABRAINC, afirmou: “Nenhum outro setor da economia brasileira contribuiu tanto para o país resistir à falta de empregos provocada pela pandemia quanto o da construção civil.”

De acordo com dados do Caged –  Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o setor criou 112.174 vagas em 2020, um aumento de 5,18% em relação ao ano anterior.

As perspectivas para 2021 permanecem positivas, mesmo diante de um cenário de insegurança. Tudo depende da aprovação pelo Congresso Nacional diante de  reformas estruturais consideradas importantes.

O evento foi separado por dois assuntos, a “Expectativas do setor da incorporação para 2021” e “Quais oportunidades estão no radar para novos projetos e negócios no mercado imobiliário?”, e contou com 16 participantes, entre eles o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, o primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos, e o presidente da B3, Gilson Finkelsztain.

Para Luiz Antônio França, é necessário ter boas estratégias para lidar com o momento econômico atual: “Temos que enfrentar esse desafio como uma partida de xadrez contra nosso adversário central, o vírus. Para médio e longo prazo,  as reformas administrativas e tributárias, além da aprovação da PEC Emergencial,  são essenciais para a recuperação da economia”. O mesmo também enfatizou que o país tem um déficit habitacional de 7,8 milhões de moradias e que a demanda alcançará 11,4 milhões de unidades até 2030.

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que também participou da abertura, lembrou: “a engenharia brasileira é de vanguarda e de muita qualidade”. Além disso, comentou que a mudança no sistema tributário do País é o que mais enfrenta resistencia. “Política é a arte de escolher, escolher um modelo custe o que custar.

Quaisquer sejam as desvantagens dele, nós temos que cumprir a missão que é a reforma tributária e corrigir as distorções que surgirem ao longo desse processo”, afirmou.

Basílio Jafet, presidente do Secovi-SP, lembrou: “A simplificação tributária é essencial.” Para Menin, as reformas administrativa e tributária, além da PEC Emergencial, são a “grande ancoragem para segurar juros, inflação e para a economia viver em um ambiente mais saudável”. “Vamos unir forças, trabalhar em prol do Brasil. O setor apoia integralmente as reformas”, disse.

Financiamento imobiliário

Por sua vez, Pedro Guimarães, presidente da Caixa, informou durante sua participação no Summit ABRAINC 2021, que o banco realizou 116 bilhões de reais em créditos imobiliários em 2020, e deve alcançar os 130 bilhões de reais em 2021. Afirmando que no primeiro bimestre deste ano, o crédito imobiliário efetivo cresceu 78% em relação ao mesmo período do ano passado: “Não faltará crédito imobiliário no mercado, nem de perto, como não faltou no ano passado”, disse.

Além disso, o presidente da Caixa informou que o crédito imobiliário para pessoa jurídica segue crescendo: “Em 2018, foram 2,1 bilhões de reais disponibilizados. Em 2019, 4,5 bilhões de reais. Em 2020, o valor saltou para 12,8 bilhões de reais. Apenas em março de 2021, deveremos emprestar 3 bilhões de reais: mais do que todo o ano de 2018.”

Outra convidada do Summit ABRAINC 2021, a  presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Cristiane Teixeira Portella, diz esperar uma alta de 27% do financiamento imobiliário com recursos de poupança neste ano: “Temos tudo para este ser um ótimo ano para o crédito imobiliário”, disse a executiva.

Confiança crescente

O Evento trouxe diálogos quanto às oportunidades trazidas pela baixa taxa de juros, mantida em 2%, menor patamar da história, o que tornou o cenário positivo para a compra de imóvel, uma vez que o financiamento imobiliário ficou mais acessível.

As perspectivas permanecem animadoras, com lançamentos de novos empreendimentos, que prometem aquecer a economia e gerar ainda mais oportunidades de emprego.

Em meio a isso, há a expectativa de a compra de imóveis no Brasil tornar-se um investimento atrativo mediante a recuperação do PIB e o avanço das reformas administrativas e tributárias.

A Docket e o setor Imobiliário

Frente aos cenários apresentados, a Docket, patrocinadora do evento Summit ABRAINC, tem como base a transformação digital como um fator primordial para a otimização e segurança das operações no setor imobiliário, principalmente das incorporadoras.

A infraestrutura para a transformação digital realizada pela Docket é capaz de aportar inúmeros benefícios e, até mesmo, aprimorar o modelo de negócios das organizações, acelerando não só os processos documentais, mas toda a sua esteira de rentabilidade.

A Docket, tem a missão de trazer mais celeridade aos processos burocráticos, de forma a colaborar com o setor de incorporação imobiliária, acelerando não só os processos documentais, mas facilitando também suas operações financeiras.