Notícias

Covid-19 reforça papel social que o setor da construção civil pode desempenhar pelo mundo

Hospitais de campanha erguidos em diversas partes do mundo podem contar com profissionais e recursos da área; em São Paulo, obra mais recente tem o apoio da Seconci-SP

O momento vivido pela humanidade, com a propagação maciça do Covid-19, ainda não tinha precedente na geração atual. Felizmente, grupos no mundo todo estão se mobilizando para gerar redes de suporte em áreas diversas, mas principalmente para apoiar os profissionais de saúde, tão essenciais no combate à doença.

E a construção civil é um dos setores empenhados em oferecer sua expertise em algumas das forças-tarefa exigidas para amparar o trabalho de cuidar, tratar e curar as pessoas, especialmente quando se trata de erguer com agilidade hospitais de campanha em grandes cidades, para atender centenas de pacientes simultaneamente.

Em São Paulo, a Secretaria de Saúde do Estado de SP entregou duas estruturas hospitalares temporárias nos complexos do Anhembi e Pacaembu no dia 1º de abril de 2020, e iniciou em 5 de abril as obras do Hospital de Campanha do Conjunto Desportivo Constância Vaz Guimarães, dentro do Complexo Ginásio do Ibirapuera, na Zona Sul da capital paulista, para atendimento dos casos de coronavírus, com previsão de entrega até o fim do mês de abril. O Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo – Seconci-SP está realizando parceria com o poder público para administrar esse terceiro hospital no Ginásio do Ibirapuera.

As instalações terão uma área total de 7,5 mil m2, com 268 leitos: 28 de estabilização, sala de descompressão, consultórios médicos e tomografia. As unidades estarão concluídas e equipadas com leitos temporários para o coronavírus (Covid-19), gases medicinais e totalmente climatizado para entrar em operação até 1º de maio de 2020.

A construção envolve 800 profissionais, sendo cerca de 500 da área de enfermagem, contratados pelo Seconci-SP. A obra está estimada em R$ 12 milhões, com manutenção mensal de R$ 10 milhões. Não há data prevista para o encerramento das atividades.

Cuidado redobrado com os trabalhadores

E quem atua não apenas nas construções emergenciais para o Covid-19, mas em obras de infraestrutura e moradia, que seguem sendo fundamentais para a população, também recebe atenção especial das autoridades de saúde quanto à sua segurança e prevenção à contaminação.

Entidades do setor, como a ABRAINC e CBIC, tem levado informações e orientações aos canteiros de obra para auxiliar na manutenção do bem-estar dos trabalhadores, reforçando as ações de conscientização do Abril Verde, mês com foco em segurança do trabalho que já faz parte do calendário do setor, antes mesmo da pandemia.

Uma das orientações da entidade às empresas de construção é que instruam quanto ao uso adequado do álcool-gel nos canteiros. A substância tem alto potencial de combustão, por conta da concentração de 70% de álcool em sua fórmula, o que pode produzir chamas invisíveis, que podem causar acidentes e queimaduras.

O uso de água e sabão ainda é o meio mais seguro e eficaz para higienizar as mãos e deve ser indicado com ênfase, sempre que possível.

O futuro da construção pós-pandemia

Em 2021, quando a parte mais crítica da situação relativa ao Covid-19 tiver ficado para trás, você tem um encontro marcado com o futuro da construção civil na M&T Expo e vai se lembrar de como esse grande setor foi importante nessa época, com muito planejamento, tecnologia e máquinas. Tudo será visto e abordado na M&T Expo 2021 e será uma oportunidade de entrar em contato com o que há de mais avançado em conceitos e tecnologia para o setor – e certamente teremos muitas novidades com essa mudança de cenário no mundo.

Fonte: M&T Expo