Notícias

Financiamentos imobiliários somam R$ 6,38 bilhões em fevereiro de 2020

No primeiro bimestre do ano, os empréstimos para aquisição e construção de imóveis atingiram R$ 13,52 bilhões, o que correspondeu a uma elevação de 35,7% comparativamente a igual período de 2019

Fevereiro, sazonalmente, é um mês fraco para o crédito imobiliário – e não foi diferente do que ocorreu em 2020. Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiram R$ 6,38 bilhões em fevereiro de 2020, queda de 10,7% em relação ao mês anterior e alta de 31% em comparação com fevereiro de 2019.

No primeiro bimestre do ano, os empréstimos para aquisição e construção de imóveis atingiram R$ 13,52 bilhões, o que correspondeu a uma elevação de 35,7% comparativamente a igual período de 2019.

No acumulado de 12 meses (março de 2019 a fevereiro de 2020), os empréstimos para aquisição e construção de imóveis somaram R$ 82,26, com alta de 37,2% em relação ao apurado nos 12 meses anteriores.

Financiamentos Imobiliários – Unidades

Foram financiados, nas modalidades de aquisição e construção, 25,5 mil imóveis em fevereiro de 2020, resultado 8,5% inferior ao de janeiro, mas superior em 29,6% ao observado em fevereiro do ano passado.

No bimestre janeiro/fevereiro de 2020, foram financiadas pelo SBPE aquisições e construções de 53,42 mil imóveis, número 34,3% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

Nos últimos 12 meses (março de 2019 a fevereiro de 2020), os financiamentos do SBPE viabilizaram a aquisição e a construção de 311,6 mil imóveis, alta de 30,2% em relação aos 12 meses anteriores, quando 239,2 mil unidades foram objeto de financiamento bancário.

Poupança SBPE: Captação Líquida

A captação líquida das cadernetas de poupança do SBPE foi negativa em R$ 2,27 bilhões em fevereiro, repetindo o comportamento sazonal da aplicação. Na série histórica iniciada em 1994, a verificação do comportamento passado mostra que os saques foram superiores aos depósitos em 65% dos meses de fevereiro. Esse desempenho fraco ou negativo reflete a elevação dos saques pelas famílias, obrigadas a reforçar o orçamento comprometido com despesas de início do ano.

Em decorrência da captação líquida negativa, o saldo das cadernetas em fevereiro foi de R$ 649,2 bilhões, recuo de 0,06% em relação a janeiro. Não obstante, houve alta de 6,4% comparativamente a igual período de 2019.

Fonte: Abecip