Indicadores

Fevereiro 2020

Com alta de 11,6% em relação a 2018, lançamentos da incorporação fecham 2019 em volume recorde

Número de unidades lançadas totalizou 112,1 mil no último ano, consolidando trajetória de recuperação e apostas do segmento para 2020

Os Indicadores Abrainc-Fipe são elaborados com base em informações fornecidas regularmente por grandes empresas do segmento da incorporação associadas à Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), com atuação nas principais praças do território nacional. Compreendendo dados em volume (número de unidades) sobre lançamentos, vendas, entregas, distratos e oferta final de imóveis novos entre 2014 e 2019, a iniciativa tem por objetivo oferecer métricas para acompanhamento de um dos segmentos mais importantes para o crescimento e para o dinamismo da economia brasileira, em um contexto marcado pelos efeitos da crise econômica, por mudanças de ordem institucional e de política econômica.

De acordo os últimos dados consolidados pela parceria entre a Abrainc e a Fipe, os lançamentos totalizaram 19.530 unidades em dezembro de 2019, o que corresponde a um aumento de 16,5% em relação ao mesmo mês de 2018. O resultado colabora para um volume recorde de 112.088 unidades lançadas em 2019, superando em 11,6% o número de unidades lançadas em 2018 e estabelecendo o maior patamar da série histórica. Já as vendas de imóveis novos totalizaram 11.099 unidades no último mês de 2019, volume que corresponde a um aumento de 5,3% em relação às vendas de dezembro de 2018. Com isso, as vendas somaram 114.508 unidades em 2019 e praticamente mantiveram o patamar de 2018 (115,1 mil unidades), superando o volume médio anual comercializado no triênio precedente (2015-2017). Ainda no tocante ao desempenho, as vendas líquidas de imóveis novos** – calculadas pela subtração das unidades distratadas do total de unidades vendidas no mesmo intervalo – cresceram 9,3%, no acumulado de 2019 em comparação a 2018. Colaboraram para esse resultado a queda no volume de distratos entre 2018 e 2019 (-32,4%), bem como a redução observada na razão distratos/vendas (indicador cuja média anual passou de 23,5%, em 2018, para 16,0%, em 2019). De forma geral, a leitura desses dados reforça a trajetória de retomada do segmento, refletindo também os efeitos de mudanças institucionais e regulatórias (como a Lei dos Distratos).

É importante ressaltar que o processo de retomada do mercado imobiliário tem sido marcado por forte heterogeneidade – tanto do ponto de vista geográfico (isto é, nas diferentes regiões e praças) quanto sob o ponto de vista do segmento/público-alvo dos empreendimentos. Na análise por tipologia residencial, por exemplo, a maior parte dos lançamentos (80,2%) e das vendas (70,2%) realizadas em 2019 ainda corresponde a unidades que atenderam ao perfil do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)*, ao passo que os empreendimentos classificados como Médio e Alto Padrão (MAP) foram responsáveis por 19,8% das unidades lançadas e 29,8% das unidades comercializadas no último ano. Em termos de desempenho, o volume de lançamentos MAP recuou 3,1% em 2019, ao passo que as vendas e as vendas líquidas** do segmento avançaram, respectivamente, 0,9% e 16,2% no ano destacado. Comparativamente, o número de lançamentos residenciais associados ao Programa Minha Casa Minha Vida* em 2019 também superou o volume lançado no ano anterior (+19,2%). Por outro lado, as vendas desse segmento recuaram 0,7% na mesma base comparativa, contrastando com as vendas líquidas**, que encerram 2019 com alta de 4,7%.

Notas: (*) As informações do Programa Minha Casa Minha Vida contemplam apenas empreendimentos da Faixa 2 e Faixa 3. (**) As vendas líquidas correspondem ao volume de vendas excluindo-se as unidades distratadas no mesmo período.

Veja AQUI
Continuar Lendo