Indicadores

Julho 2019

Apesar da alta nos lançamentos, vendas de imóveis novos passam a recuar no ano

Número acumulado de unidades vendidas entre janeiro e maio foi 1,6% inferior ao volume comercializado no mesmo período de 2018

De acordo com informações de empresas associadas à Abrainc – Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, os lançamentos de imóveis somaram 8.135 unidades em maio de 2019, colaborando para um total de 27.878 unidades no acumulado entre janeiro e maio de 2019 – trata-se de um volume 4,1% superior ao registrado no mesmo período de 2018. Já as vendas de imóveis novos totalizaram 10.134 unidades no último mês (45.016 unidades vendidas em 2019), resultado parcial que corresponde a uma queda de 1,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Considerando os últimos 12 meses, os lançamentos e vendas totalizaram, respectivamente, 101.544 e 114.378 unidades, o que representa um aumento de 14,3% no volume de unidades lançadas e uma queda de 0,9% no volume comercializado nesse horizonte temporal – ambos computados em relação aos 12 meses precedentes.

A despeito do comportamento negativo do volume comercializado, as vendas líquidas** – calculadas pela subtração das unidades distratadas do total de unidades vendidas em um mesmo intervalo – cresceram 9,8% nos cinco primeiros meses do ano, desempenho similar ao observado nos últimos 12 meses (+9,0%). Tais resultados, vale dizer, refletem a queda expressiva no volume de distratos tanto no balanço parcial de 2019 (-33,8%) quanto nos últimos 12 meses (-27,3%). Em uma ótica alternativa, o fenômeno se expressa pela redução observada na relação distratos-vendas, indicador cuja média em 2019 (17,6%) encontra-se em patamar muito inferior à média calculada para o mesmo período de 2018 (26,2%).

No tocante à participação por tipologia, a maior parte dos lançamentos residenciais (77,3%) e das vendas residenciais (70,1%) realizadas nos últimos 12 meses correspondeu a unidades comercializadas no âmbito do Programa MCMV*, ao passo que os empreendimentos de MAP foram responsáveis por 22,7% das unidades residenciais lançadas e 29,9% das unidades residenciais vendidas. Em termos de desempenho por segmento residencial, é possível constatar diferenças no desempenho dos empreendimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) e dos empreendimentos residenciais vinculados ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)*. De um lado, apesar da alta de 8,3% registrada nos lançamentos residenciais de médio e alto padrão nos últimos 12 meses, as vendas de novas unidades pelo segmento ainda acumulam queda de 5,0% na comparação com o período precedente. Vale ressaltar, todavia, que as vendas líquidas** do segmento MAP apresentaram alta expressiva de 16,7% no mesmo período. Comparativamente, o número de lançamentos residenciais vinculadas ao Programa MCMV* nos últimos 12 meses aumentou 20,9% em relação ao período precedente, tendência acompanhada pelos resultados positivos ainda observáveis no âmbito das vendas e vendas líquidas**, que se elevaram em 2,3% e 4,1%, respectivamente.

Notas: (*). As informações do Programa Minha Casa Minha Vida contemplam apenas empreendimentos da Faixa 2 e Faixa 3. (**). As vendas líquidas correspondem ao volume de vendas excluindo-se as unidades distratadas no mesmo período.

 

Veja AQUI
Continuar Lendo