ESG

Plataforma auxilia a mensurar pegada de carbono de materiais da construção civil

Gratuito e aberto, Sistema de Informação do Desempenho Ambiental da Construção (Sidac) vai permitir escolher fornecedores com base em indicadores ambientais públicos

A sustentabilidade no setor de construção civil ganhou um aliado. No final de abril, foi lançado o Sistema de Informação do Desempenho Ambiental da Construção (Sidac), plataforma web que permite calcular a pegada de energia e de carbono de produtos de construção. Por meio dela, é possível conhecer os gastos de energia primária e emissão de CO2 desde a extração dos recursos naturais até a porta da fábrica, onde vai ser transformado em material de construção.

Para o professor Vanderley John, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), diretor do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), trata-se de uma mudança de paradigma. “Pela primeira vez, teremos no Brasil um sistema que reúne dados de desempenho ambiental de produtos de construção, que hoje encontram-se dispersos em publicações científicas, relatórios e outros documentos. Os sistemas análogos que usam dados internacionais não representam a realidade brasileira e podem levar a decisões equivocadas”, afirma.

O Sidac calcula indicadores de desempenho ambiental com base em dados brasileiros e nos conceitos da Avaliação do Ciclo de Vida (ACV). A empresa interessada cadastra o inventário do processo de fabricação do seu produto e o sistema calcula automaticamente os indicadores do ‘berço’ à fábrica. Para isso, deve submeter, no próprio sistema, os dados para a revisão por um especialista. Se houver necessidade, deverá fazer as correções necessárias e, uma vez aprovados, os dados serão publicados.

Desta maneira, torna possível a declaração de desempenho ambiental de produtos e a seleção de fornecedores com base em indicadores ambientais. “É um instrumento de apoio a decisões de projeto de melhoria aos processos industriais”, diz o professor. Ele ainda ressalta que o Sidac contribui para a governança socioambiental de empresas e setores (ESG) e auxilia na elaboração de estratégias para redução de carbono.

A razão para isso é que a plataforma também compara indicadores de desempenho ambiental de diferentes fornecedores do mesmo produto, emite declaração de desempenho ambiental, torna possível calcular os indicadores de desempenho ambiental de novos produtos, componentes ou sistemas construtivos. Nesta primeira fase, está disponível apenas para indicadores de demanda de energia primária e emissão de CO2.

O CBCS coordena o desenvolvimento do sistema por meio de um comitê científico constituído por um consórcio de universidades e institutos de pesquisa brasileiros, com o apoio de associações setoriais da construção, participação do governo brasileiro e suporte de instituições internacionais.

Fonte: Valor Econômico