Construção Civil

Saint-Gobain e ArcelorMittal fecham parceria para educação

Joint venture vai oferecer cursos de qualificação profissional no setor de construção civil

A Saint-Gobain, fabricante e revendedora de materiais de construção, e a siderúrgica ArcelorMittal, anunciam hoje a joint venture Parceiro da Construção, plataforma de cursos para o setor. As empresas passam a ser acionistas igualitárias no negócio, que tem valor inicial estimado em R$ 40 milhões. A parceria foi aprovada pelo Cade na quinta-feira.

A Parceiro da Construção nasceu dentro da Saint-Gobain em 2017, com os primeiros cursos divulgados em 2020. É uma plataforma online e gratuita que tem hoje mais de cem programas de qualificação para profissionais do setor, como pedreiros, pintores, arquitetos, engenheiros, instaladores e revendedores. Agora, ela deixa de ser parte da multinacional e se torna uma empresa independente.

O executivo escolhido para tocar a operação é Roberto Hentzy, que tem experiência com startups e varejo – foi diretor-executivo da empresa de software Yandeh e da rede de lojas Le Biscuit, e agora assume o cargo na Parceiro da Construção. Hentzy conta que a plataforma já ultrapassou os 100 mil usuários, tendo dobrado sua base nos últimos dez meses, e que a expectativa é acelerar esse crescimento a partir de agora.

Renato Holzheim, diretor-geral de produtos para construção da Saint-Gobain, explica que a ideia da Parceiro veio de uma percepção que a multinacional teve sobre a necessidade de formação de pessoas no setor, e que a internet seria uma forma interessante de ensinar os profissionais a utilizarem corretamente os produtos.

“Temos muitas construtoras que são nossas clientes e uma das grandes dores que elas têm é a falta de mão de obra qualificada”, reforça Marcelo Marino, vice-presidente comercial e de metálicos da área de aços longos da ArcelorMittal.

De fato, a pesquisa Sondagem da Indústria da Construção, feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta que a “falta ou alto custo do trabalhador qualificado” foi o quarto item mais citado entre os principais problemas da construção no segundo trimestre deste ano. Há dificuldades mesmo para o trabalho com baixa qualificação. O item “falta ou alto custo da mão de obra não qualificada” foi o nono mais citado pelos empresários consultados.

Segundo Marino, a solução da Parceiro da Construção beneficia todos os lados da cadeia. Para os profissionais, é uma forma de se capacitar e aumentar sua empregabilidade. Para a ArcelorMittal e a Saint-Gobain, faz com que a mão de obra na ponta conheça seus produtos e aprenda a utilizá-los corretamente. Para os clientes das multinacionais, é uma forma de aumentar a capacidade de execução e a qualidade dos serviços.

Da esq. para direita: Marino, da ArcelorMittal, Hentzy, do Parceiro da Construção, e Holzheim, da Saint-Gobain — Foto: Divulgação

 

Há expectativa de que a plataforma também auxilie no desenvolvimento e na alavancagem de novos produtos, afirma Hentzy. A nova empresa tem mais dois objetivos a partir de agora: aumentar a gama de programas de capacitação e fazer curadoria do conteúdo, e atrair outras empresas do setor para também serem parceiras do negócio. “Queremos nos transformar no maior e mais importante hub da construção civil do país”, diz Marino.

Quando a Parceiro da Construção deu seus primeiros passos, ainda antes de ter cursos disponíveis, a Saint-Gobain visava criar um negócio que gerasse valor ao longo do tempo, não necessariamente com lucro imediato. A empresa investe na plataforma desde 2017, e agora a ArcelorMittal também passa a colocar dinheiro no negócio. Segundo os executivos, a meta é conseguir fazer a Parceiro ser sustentável, para que se torne uma iniciativa perene. “São tantas as oportunidades de monetização que vislumbramos atingir o equilíbrio financeiro da plataforma no médio prazo”, diz Holzheim.

Fonte: Valor Econômico