Construção Civil

FGV revisa para baixo crescimento do PIB da construção em 2019

A expectativa de alta do PIB do setor neste ano é reduzido de 2% para 0,5%. Mudança de cenário foi influenciada por queda na atividade das construtoras de obras de infraestrutura

A Fundação Getulio Vargas (FGV) revisou suas projeções do Produto Interno Bruto (PIB) da Construção para 2019. Segundo as novas estimativas, o PIB das empresas irá cair 0,5% neste ano, enquanto o dos demais segmentos, como reformas e autoconstrução, terá aumento de 2%, o que resultará no crescimento de 0,5% do PIB de todo o setor. Os dados foram divulgados em reunião de Conjuntura do Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

A previsão anterior era de que o PIB da construção iria aumentar 2% no ano. Segundo a coordenadora de Projetos da Construção da FGV/Ibre, Ana Maria Castelo, o principal fator que influenciou este cenário foi a queda na atividade das construtoras voltadas a obras de infraestrutura.
A economista informou que o cenário de incerteza não favorece a decisão de investir. Este aspecto se confirma se analisados os resultados da última Sondagem da Construção da FGV, em que 46,8% dos entrevistados declararam que não farão investimentos produtivos em 2019.

Além disso, Ana Maria disse que a intenção do governo de esquentar o consumo com a liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é preocupante. De acordo com ela, essa ação pode diminuir futuramente os recursos disponíveis no Fundo para investimento em habitação.
A representante da FGV ressaltou, ainda, a necessidade de acompanhar atentamente as mudanças a serem introduzidas no Minha Casa, Minha Vida (MCMV). No primeiro trimestre deste ano, face mesmo período de 2018, o programa contou com aumento de 42% nos lançamentos imobiliários e de 8% nas vendas.

 

Fonte: Revista Construa