Imprensa

Rubens Menin diz no Summit Abrainc que Brasil está sendo mal avaliado e que há luz no fim do túnel

Empresário afirmou que o Brasil tem condições de melhorar seu equilíbrio fiscal e reduzir as desconfianças de investidores

O presidente do conselho de administração da MRV e conselheiro da Abrainc, Rubens Menin, disse que o Brasil “está sendo mal avaliado” e que há luz no fim do túnel para a situação sanitária e econômica, o que permite um olhar mais otimista sobre os rumos do País. As declarações foram feitas na abertura do Summit Abrainc, que reúne empresários da construção e bancos, além de parlamentares.

“Acredito que o Brasil esteja sendo mal avaliado por muitos. Eu acredito que a vacinação será melhor daqui para frente”, afirmou, destacando que o País está entre os dez no ranking global com mais vacinações em termos de quantidade de vacinas aplicadas (mas não em termos de porcentual da população vacinada).

A quantidade de pessoas vacinadas contra a covid-19 no Brasil chegou a 9 milhões ontem. O número representa 4,26% da população brasileira. Entre os 9 milhões de vacinados, 3,2 milhões receberam a segunda dose da vacina.

Menin citou que o setor da construção foi impulsionado pelos juros baixos ao longo de 2020, mas indicou que esses juros podem subir caso a inflação não seja controlada. “Hoje tivemos notícia não muito boa, com IPCA acima do previsto pelo mercado. Precisamos ter controle da inflação”, disse.

O empresário afirmou que o Brasil tem condições de melhorar seu equilíbrio fiscal e reduzir as desconfianças de investidores, com consequente redução do dólar, a partir da aprovação da PEC Emergencial e da reforma administrativa. “A partir daí teremos uma virada”, apontou.

Menin frisou que o setor da construção apoia integralmente a agenda de reformas e que fará a cobrança pela aprovação dessas pautas, mas de “forma digna e correta”. Segundo Menin, é preciso ter mais união da sociedade. Na sua visão, há “críticas do que precisa ser criticado”, mas faltam “elogios para o que precisa ser elogiado”.

Entre os pontos a serem elogiados, ele citou a atuação da Caixa para concessão do auxílio emergencial, além das medidas para incentivar o financiamento imobiliário, por exemplo.

Por Circe Bonatelli e André Ítalo Rocha

Publicado no Broadcast da Agência Estado


cheap jerseyscheap nfl jerseyscheap mlb jerseyscheap nfl jerseyscheap mlb jerseyscheap nhl jerseyscheap jerseyscheap jerseyscheap jerseyscheap jerseys