Imprensa

Salão vai ofertar imóveis com preço a partir de Minha Casa, Minha Vida

Evento vai acontecer das 9h às 20h, no próximo fim de semana, dos dias 18 a 20 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP)

Quem tiver interesse em comprar a casa própria pode ir até o primeiro Salão do Imóvel, em São Paulo (SP), e negociar por um dos imóveis disponíveis. O evento vai ser realizado dos dias 18 a 20 de outubro deste ano e oferecerá cerca de 2.500 unidades ao público, entre casas e aparatamentos, segundo os dados enviados pela assessoria de imprensa no dia 10 de outubro.

Os compradores podem optar desde estúdios até imóveis maiores, considerados de alto padrão, com valores a partir do padrão Minha Casa, Minha Vida.

A organização do Salão diz que espera receber 15 mil visitantes durante os três dias, realizado pelas entidades Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) e do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil).

O presidente da Abrainc, Luiz França, diz que a expectativa de venda no Salão é muito positiva. “A gente tem certeza que vai ser um sucesso de vendas, até porque o ciclo do mercado imobiliário está anunciando uma melhora”, afirma.

Para França, comprar no Salão é uma boa oportunidade, já que é possível comparar as ofertas de 40 incorporadoras do mercado de maneira mais fácil. Além disso, afirma que o evento acontece no final de semana para que os membros da família consigam escolher um imóvel juntos.

O professor do MBA de Gestão de Negócios Imobiliários e da Construção Civil da FGV (Fundação Getulio Vargas), Sérgio Cano, diz que este tipo de evento é interessante, já que as incorporadoras tendem a oferecer boas condições de compra.

“O comprador vai ter mais alternativas de escolha concentradas em um mesmo local. Evita que a pessoa tenha que se deslocar em várias regiões”, afirma Cano.

Para ele, a grande quantidade de empresas ofertando imóveis faz com que a concorrência motive descontos e condições especiais, como documentação mais barata ou entregar um dos cômodos da residência mobiliados.

Como escolher um bom imóvel

• Boa localização

França orienta que o comprador conheça bem a região do imóvel antes de fechar a compra. É importante avaliar como as necessidades básicas são supridas no local, como proximidade com escolas e hospitais.

• Configuração do imóvel

Escolhida a localização, a orientação de França é que a família avalie a configuração do imóvel. “[Precisa] estar alinhada com as necessidades da família. O imóvel é algo que você vai ficar muitos anos dentro dele”, afirma, dizendo que diferentemente de um carro, que é mais fácil de trocar caso o comprador se arrependa da aquisição.

• Qualidade das empresas

Negociar com empresas renomadas e com boa reputação no mercado é essencial para fazer um bom negócio. França diz que “no Salão, todas as empresas têm uma qualidade excelente. Um grupo de incorporadoras específicos, tradicionais e renomados no mercado”.

• Negociação

Após definidos todos os pontos anteriores, o consumidor deve negociar a melhor forma de pagamento e a taxa de financiamento, se for pagar desta maneira. Para França, é essencial que haja um planejamento para que a parcela da dívida caiba no bolso do comprador.

Cano afirma que, quanto maior o estoque de imóveis da empresa, melhores tendem a ser as condições de venda. Além disso, o professor orienta que o consumidor pesquise as melhores taxas de juros e financiamentos.

“Como os bancos vêm reduzindo as taxas [de juros], eles estão competindo muito no crédito imobiliário, querendo este cliente que vai ter uma relação de longo prazo com o banco”, afirma. Para Cano, este é um momento propício para comprar imóveis, devido à queda de preços e as baixas taxas de juros.

A assessoria de imprensa do evento informa que as incorporadoras oferecem diferentes benefícios para atrair mais clientes, como ITBI (Imposto sobre a transmissão de bens imóveis) e registro grátis, descontos de até R$ 15 mil, facilitação na entrada e piso laminado entregue nos quartos. Essas condições e “bônus” variam de empresa para empresa.

• Documentação do imóvel

Cano afirma que o comprador precisa prestar atenção na documentação do imóvel antes de fechar a compra, principalmente em imóveis ainda na planta. É preciso se certificar de que a propriedade possui memorial descritivo registrado, ou seja, documento que determina quais os itens que devem estar presentes tanto na unidade comprada como na área de lazer do condomínio, caso haja.

• Taxas importantes

No momento de fechar o financiamento com algum banco, o comprador precisa entender todas as taxas e valores embutidos na parcela. O essencial é perguntar sobre tudo para não restar dúvidas e fechar o negócio.

Por mais que o imóvel tenha um bom preço e caiba no orçamento, o comprador precisa se antecipar e questionar o valor esperado da taxa de condomínio, caso compre um apartamento ou casa em condomínio fechado.

Cano diz que é importante avaliar se o valor da parcela do financiamento e o condomínio cabem no bolso para não ter nenhuma surpresa no futuro. O valor da parcela mais o da taxa de condomínio não pode ultrapassar 30% da renda familiar bruta, segundo Cano.

Serviço:

Data: 18, 19 e 20 de outubro (sexta-feira, sábado e domingo)
Hora: das 9h às 20h
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo
Av. Otto Baumgart, 1000 – Vila Guilherme, São Paulo – SP
Preço: Entrada gratuita

Fonte: R7