Radar

2ºTrimestre – 2019

Em meio a impasses no cenário político, condições de mercado encerram segundo trimestre com estabilidade

Resultado reflete fraco desempenho da economia brasileira, crise fiscal e indefinições nas políticas voltadas para o setor

De acordo com informações atualizadas do Radar Abrainc-Fipe, as condições do mercado imobiliário permaneceram praticamente inalteradas ao longo do 2º trimestre, encerrando junho de 2019 com nota média de 4,7 na escala entre 0 (menos favorável) a 10 (mais favorável). O comportamento da nota geral refletiu o equilíbrio entre as melhorias observadas no âmbito do crédito imobiliário e ambiente macro – de um lado – e a leve deterioração do ambiente setorial – de outro. Comparativamente, os resultados finais do último trimestre representam a manutenção da nota geral (4,7 pontos) observada ao final do primeiro trimestre (isto é, em março/2019), um leve recuo de 0,1 ponto no acumulado do ano (dezembro/2018) e um ligeiro avanço de 0,2 ponto nos últimos 12 meses (junho/2018). A despeito das oscilações no período recente, é possível evidenciar sinais de recuperação em quase todas as dimensões monitoradas no horizonte mais amplo, com destaque para avanços nos indicadores de ambiente macroeconômico (via aumento da confiança e do nível de atividade), demanda (via ligeira recuperação do nível de emprego) e crédito (via queda da taxa de juros e aumento na oferta de recursos). Por outro lado, a leitura histórica do Radar Abrainc – Fipe reforça a necessidade de uma retomada mais vigorosa do nível de emprego formal e da renda como fator condicionante de um cenário mais favorável (sob a ótica da demanda). Além disso, ressalta-se que qualquer prospecto sustentável para o mercado permanece refém de uma melhor definição de programas e políticas voltadas para o incentivo às atividades e ao financiamento do setor.

Veja AQUI
Continuar Lendo