PDE São Paulo

Prefeitura de SP publica estudo sobre empregos formais nos eixos de transporte público

Este é o terceiro Informe Urbano elaborado para subsidiar a Revisão Intermediária do Plano Diretor

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), acaba de publicar um amplo estudo sobre emprego formal em áreas dotadas de boa infraestrutura de transporte público na cidade. O objetivo é subsidiar os debates para a Revisão Intermediária do Plano Diretor Estratégico (PDE). Acesse a análise na íntegra.

Trata-se da edição 52 dos Informes Urbanos, uma série de estudos da SMUL sobre temas de interesse para o desenvolvimento de São Paulo. Ela tem como fonte de dados a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

O estudo aborda a evolução, entre 2014 e 2019, da atividade econômica formal nos Eixos de Estruturação da Transformação Urbana (EETU). Demarcados pelo Plano Diretor de 2014, os Eixos são os locais do município que detêm infraestrutura de transporte coletivo de média e alta capacidade (corredores de ônibus, metrô e trem) e para onde se pretende concentrar o adensamento construtivo e populacional. Confira o mapa dos Eixos da cidade.

O Informe Urbano mostra que a quantidade de empregos nos eixos se manteve estável durante o período. Em 2019, existiam, em média, 9 empresas e 150 empregos por hectare nas áreas de eixos, representando 21% do total de empregos na cidade. Essa relação empresa/emprego por hectare nos eixos é considerável, tanto que supera os 644 municípios do estado de São Paulo (excluída a capital).

A análise do Município também expõe a distribuição de empregos por macroáreas, isto é, divisões territoriais definidas pelo Plano Diretor que apresentam características e objetivos urbanos, ambientais, sociais e econômicos comuns. Confira no mapa onde elas estão localizadas.

Entre os resultados, pode-se destacar que a Macroárea de Urbanização Consolidada (MUC) concentra a maior parte (67,4%) de empregos formais nos eixos de transporte público. Isso pode ser explicado por ela englobar atividades econômicas relevantes, como o entorno da Avenida Paulista e parte do chamado “vetor sudoeste”.

O Informe Urbano também promove um detalhamento dos empregos por cada um dos 16 Eixos da cidade. São apresentados o porte (micro, pequena, média e grande) das empresas ali instaladas e as dez atividades econômicas que mais empregavam em 2019 naquela área.

De um modo geral, é perceptível a prevalência do setor terciário (comércio e serviços) dentre as atividades mais empregadoras. O comércio varejista é o maior destaque.

Por outro lado, considerando o total de estabelecimentos e empregos nos eixos, há pouca relevância da indústria. O ramo da confecção é o que apresenta os maiores índices.

As atividades de apoio às empresas (locação de mão de obra, serviços de escritório, segurança) e destinada a pessoas (saúde, educação, alimentação) aparecem na lista das 10 principais de todos os eixos.

Importante destacar que ainda não é possível mensurar o tamanho do impacto do Plano Diretor Estratégico (PDE) para o desenvolvimento do emprego formal nos eixos de transporte público.

O Plano passou a ser efetivamente aplicado para a solicitação de alvarás junto à Prefeitura somente a partir de 2017, visto que um instrumento federal (Direito de Protocolo) garantia a análise com base na legislação vigente no momento de pedido do documento. Além disso, é preciso considerar o intervalo de tempo (2 anos em média) entre o alvará de construção emitido pela Prefeitura e a conclusão das obras.

Informes Urbanos – Revisão do Plano Diretor SP

Este é o terceiro Informe Urbano que se relaciona com o processo revisional do Plano Diretor Estratégico (PDE).

Em novembro de 2021, foi divulgada uma análise sobre adensamento construtivo nos eixos de transporte público localizados nas macroáreas da cidade. Acesse aqui o estudo.

Já em março de 2022, foi publicado um estudo que apresenta projeções populacionais por subprefeituras, distritos e macroáreas. Confira.

Fonte: Prefeitura de SP