Indicadores

Setembro 2019

De acordo com informações de empresas associadas à Abrainc – Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, os lançamentos somaram 3.301 unidades em julho de 2019, resultado que colaborou para um total de 48.386 unidades lançadas no acumulado do ano (volume 7,3% superior ao registrado no mesmo período de 2018). Já as vendas totalizaram 8.295 unidades no mês destacado, contribuindo para 63.492 unidades vendidas até julho (o que corresponde a uma leve queda de 0,9% em relação ao mesmo período de 2018). Considerando os últimos 12 meses, os lançamentos e vendas totalizaram, respectivamente, 103.678 e 114.558 unidades, resultados que implicam um aumento de 14,6% no volume de unidades lançadas e um recuo de 1,3% no volume comercializado (ambas variações calculados em relação aos 12 meses precedentes).

Em contraste ao comportamento ligeiramente negativo observado no volume comercializado, vale destacar que as vendas líquidas de imóveis novos** – calculadas pela subtração das unidades distratadas do total de unidades vendidas em um mesmo intervalo – cresceram 11,0%, no acumulado até julho deste ano, e 9,5%, nos últimos 12 meses encerrados no mesmo mês. Tais resultados positivos, vale dizer, refletem a queda expressiva no volume de distratos, tanto no balanço parcial de 2019 (-34,1%) quanto no horizonte dos últimos 12 meses (-31,1%). Esse fenômeno se expressa também pela redução observada na razão distratos/vendas ao longo da série histórica: a média desse indicador computada nos 7 primeiros meses de 2019 (17,6%) mantém-se em patamar muito inferior à média calculada para o mesmo período de 2018 (26,4%).

No tocante à participação por tipologia, a maior parte dos lançamentos residenciais (76,7%) e das vendas residenciais (70,1%) realizadas nos últimos 12 meses ainda corresponde a unidades comercializadas no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)*, ao passo que os empreendimentos de Médio e Alto Padrão (MAP) mantêm-se responsáveis por 23,3% das unidades residenciais lançadas e 29,9% das unidades residenciais vendidas nesse horizonte. Em termos de desempenho por segmento residencial, de um lado, apesar da alta de 9,3% registrada nos lançamentos residenciais MAP nos últimos 12 meses, as vendas de novas unidades nesse segmento ainda acumulam queda de 3,7% na comparação com o período precedente (em contraste, as vendas líquidas** do segmento MAP apresentaram alta expressiva de 16,3% no mesmo período). Comparativamente, o número de lançamentos residenciais em empreendimentos do Programa MCMV* nos últimos 12 meses aumentou 21,6% em relação ao período precedente, tendência acompanhada pelos resultados positivos ainda observáveis no âmbito das vendas e vendas líquidas** desse segmento, que encerraram o intervalo supracitado com avanços de 1,2% e 5,3%, respectivamente ■

Notas: (*) As informações do Programa Minha Casa Minha Vida contemplam apenas empreendimentos da Faixa 2 e Faixa 3. (**) As vendas líquidas correspondem ao volume de vendas excluindo-se as unidades distratadas no mesmo período.

Veja AQUI
Continuar Lendo