Indicadores

Maio 2019

Após atingir 42,6% em 2016, relação entre distratos e vendas recua para 21,2% nos últimos 12 meses

De acordo com informações de empresas associadas à Abrainc – Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, os lançamentos de imóveis somaram 13.144 unidades em março de 2019, totalizando 113.620 unidades nos últimos 12 meses – volume 34,0% superior ao registrado nos 12 meses precedentes. Já as vendas de imóveis novos totalizaram 11.562 unidades no último mês, colaborando para um total de 115.625 unidades vendidas nos últimos 12 meses – resultado que corresponde a uma alta de 2,5% no mesmo horizonte de análise.

Outro destaque no período envolveu a queda expressiva na relação entre distratos e vendas: graças ao recuo de 25,6% no volume de unidades distratadas e ao aumento das vendas no período (+2,5%), o indicador encerrou os últimos 12 meses em 21,2% – percentual o que representa uma queda de 8 pontos em relação à média calculada para os 12 meses precedentes (29,2%), e uma redução de 21,8 pontos em comparação à média de 2016, ano em que a relação distratos-vendas atingiu o patamar recorde de 42,6%.

Passando-se a uma avaliação do primeiro trimestre de 2019, os volumes de lançamentos e de vendas de imóveis novos no período totalizaram, respectivamente, 18.181 e 26.729 unidades. Em termos de variação em relação ao primeiro trimestre de 2018, os resultados parciais de 2019 apontam um avanço de 23,9% no número de unidades lançadas e de 1,9%, nas vendas de novas unidades. Quanto à relação entre distratos e vendas, o percentual médio no primeiro trimestre foi de 16,7% – uma queda de 10,3 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2018.

Considerando-se no cômputo apenas os segmentos residenciais, que incluem empreendimentos de Médio e Alto Padrão e empreendimentos classificados no Programa Minha Casa Minha Vida*, os lançamentos e vendas de imóveis avançaram, respectivamente, 37,0% e 3,2% nos últimos 12 meses. Já no tocante à participação, a maior parte dos lançamentos residenciais (79,0%) e das vendas residenciais (70,7%) realizadas nos últimos 12 meses correspondeu a unidades comercializadas no âmbito do MCMV*, ao passo que os empreendimentos de MAP foram responsáveis por 21,0% das unidades residenciais lançadas e 29,3% das unidades residenciais vendidas.

Em termos de desempenho por segmento, ainda é possível constatar diferenças no desempenho dos empreendimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) e dos empreendimentos residenciais vinculados ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)*. De um lado, apesar da importante alta de 20,2% registrada nos lançamentos residenciais de médio e alto padrão nos últimos 12 meses, as vendas de novas unidades pelo segmento ainda acumulam queda de 6,3% na comparação com o período precedente. Vale ressaltar, todavia, que as vendas líquidas** do segmento MAP apresentaram alta expressiva de 17,2% no mesmo período.  Comparativamente, o número de lançamentos residenciais vinculadas ao Programa MCMV* nos últimos 12 meses aumentou 42,3% em relação ao período precedente, tendência acompanhada pelo resultado positivo ainda observável no âmbito das vendas, com alta de 7,7%.

Notas: (*) As informações do Programa Minha Casa Minha Vida contemplam apenas empreendimentos da Faixa 2 e Faixa 3. (**) As vendas líquidas correspondem ao volume de vendas excluindo-se as unidades distratadas no mesmo período.

 

Veja AQUI
Continuar Lendo