Construção Civil

Boletim ABRAINC sobre custos na construção com base no INCC de julho

Resultado representou uma retomada na trajetória de queda no índice, após a elevação ocorrida no mês de junho

O INCC apresentado pela FGV IBRE em de julho de 2022 avançou 1,16%, acumulando alta de 11,66% em 12 meses. Na divulgação de junho o índice havia apresentado uma elevação de 11,75%.

O resultado de julho representou uma retomada na trajetória de queda no índice, após a elevação ocorrida no mês de junho. Em julho de 2021, o índice atingiu o pico histórico de 17,35% no acumulado de 12 meses.

Todos os grupos que compõe o índice apresentaram quedas em julho. O grupo de mão de obra, que no mês anterior apresentou elevação de 4,37%, subiu 1,76% em julho. Já o grupo de Materiais e Equipamentos apresentou variação de 0,68%, enquanto em junho foi 1,58%. A variação do grupo de Serviços, que em junho apresentou 0,50%, em julho apresentou 0,49%.

Segundo a FGV IBRE, nas capitais pesquisadas, apenas Porto Alegre apresentou elevação no índice, indo de 0,43% em junho para 4,31% em julho. Enquanto, São Paulo, de 4,11% para 0,97% e Recife, de 5,28% para 0,47% na mesma comparação, apresentaram as maiores diminuições nos custos.

Dentre os itens com elevação de custo, o destaque foi “Revestimentos, louças e pisos” que em junho apresentou variação negativa de -0,07% e em julho variou positivamente em 2,02%. Já os destaques na queda de custos foram “Tubos e conexões de PVC” que passou de 0,26% para -0,10% em julho e “Vergalhões e arames de aço ao carbono” que em julho apresentou -0,39%, enquanto em junho o item havia variado positivamente em 6,76%.

Confira a íntegra do boletim!

Redação ABRAINC