Economia

Taxas de crédito imobiliário seguem em patamares baixos, mesmo com alta da Selic, diz ABRAINC em nota

Banco Central anunciou aumento da taxa básica de juros de 3,5% para 4,25%, nesta quarta-feira (16/06)

A ABRAINC (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) considera que o novo aumento da taxa básica de juros (Selic) de 3,5% para 4,25%, anunciado nesta quarta-feira (16/6) pelo Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central, foi uma medida técnica da Instituição para conter o avanço da inflação no País.

Mesmo com a elevação da Selic, as taxas de crédito imobiliário seguem em patamares baixos e o setor se mantém atrativo tanto para investimentos quanto para os interessados na aquisição da casa própria.

Aliada a isso, temos a expectativa de recuperação do PIB (Produto Interno Bruto) que traz mais confiança, fortalece os diversos setores econômicos, e contribui para o crescimento do emprego e da renda no Brasil.

“O ambiente de negócios continua propício, com grande atratividade para investimentos em imóveis em comparação com as aplicações financeiras tradicionais”, comenta Luiz França, presidente da ABRAINC.

Mais Informações

FSB Comunicação

Luciana Ferreira
lucianaferreira@fsb.com.br
(11) 99610-6498

Flávio Simonetti
flavio.simonetti@fsb.com.br
(11) 99393-2161