Economia

Valor do aluguel sobe menos que a inflação em 2018

Em média, inquilinos pagaram 2,33% mais no ano passado, variação inferior ao registrado pelo índice de preços oficial, que foi de 3,75%

Em meio à retomada lenta da economia e o desemprego ainda alto, o valor dos contratos de aluguel no país subiu em 2018 abaixo da inflação oficial.

De acordo com os dados da FipeZap, que monitora os preços de locação de imóveis residenciais em 15 cidades no país, o aluguel teve alta média de 2,33% no ano passado, variação inferior ao IPCA, que foi de 3,75%.

Entre as 15 cidades monitoradas, apenas três registraram recuo no preço: Rio de Janeiro (-3,44%), Fortaleza (-2,72%) e Niterói (-1,92%).

Por outro lado, entre as cidades que acumularam alta de preço, as maiores variações foram observadas em: São Bernardo do Campo (+8,85%), Recife (+6,69%) e Curitiba (+5,68%).


Os valores da locação em São Paulo e em Brasília, porém, bateram a inflação no ano passado, ao subirem 3,93% e 4,97%, respectivamente.

O índice também mostrou que os inquilinos têm pago, em média, R$ 28,57 por metro quadrado.

O preço é maior em São Paulo, R$ 37,04, valor que coloca a cidade na liderança do ranking das cidades mais caras avaliadas pela fundação. Rio, com R$ 30,10, é vice-líder, seguido por Brasília R$ 29,93 e Santos (R$ 29,31).

Negociações
Como ainda há uma pressão sobre a economia brasileira e a oferta continua mais alta do que a demanda, o momento segue oportuno para negociar uma redução no aluguel, mesmo para quem já tem um contrato vigente, segundo especialistas.

Fonte: Destak